4 Mitos da Transformação Digital

A transformação digital refere-se ao processo de mudança estrutural que muitas empresas vêm realizando e no qual dão prioridade às ferramentas digitais. Através dela, a tecnologia passa a ter uma função fundamental nos vários departamentos da organização.

O processo ultrapassa a ideia de oferecer meios digitais de comunicação, como sites ou redes sociais. Trata-se de modificar toda a estrutura corporativa a fim de aprimorar a gestão e a produção, com foco no alcance de melhores soluções para a empresa.

Desafios

A mudança que caracteriza a transformação digital pode demorar meses para acontecer e geralmente demanda um investimento alto em novos recursos tecnológicos. Além disso, é preciso realizar o processo de forma colaborativa, para que todos os envolvidos sintam-se responsáveis pelos resultados e beneficiados com eles, de modo que os méritos da transformação não prejudiquem os recursos humanos.

A transformação digital pode acontecer tanto em grandes corporações quanto em pequenas empresas. No entanto, mudar radicalmente é visto muito mais como um desafio de gestão do que de tecnologia ou marketing. Para tal, é preciso ter foco estratégico, tempo e recursos.

Pode-se dizer que o grande desafio da transformação digital é alcançar o equilíbrio na relação entre recursos humanos e tecnológicos. A tecnologia é uma grande aliada do meio corporativo quando utilizada de maneira adequada, racional e estratégica.

Mitos

A mudança radical pode atingir de forma positiva a vida de todos os envolvidos no processo, como também a maneira de realizar negócios e, consequentemente, trazer benefícios para empresa. Contudo, a transformação ainda é vista de forma superficial e imprecisa por muitos empreendedores.

Conheça cinco mitos que cercam o tema:

1. Serve somente para empresas de tecnologia

Empresários que não estudaram a transformação a fundo ainda pensam que ela só é válida para organizações ligadas diretamente à tecnologia, como lojas virtuais, empresas de software ou agências de marketing digital.

A realidade é que a mudança pode se aplicar a companhias de qualquer segmento, uma vez que trata de uma modificação na estrutura organizacional. As vantagens de privilegiar o uso da tecnologia podem abranger qualquer tipo de iniciativa.

 

2. Trata-se de um projeto específico

Entender a transformação digital como um projeto distinto, com início, meio e fim, é um grande engano. O processo deve ser contínuo, de maneira que se atualize constantemente de acordo com o avanço da tecnologia e das possibilidades de ferramentas estratégicas e vantajosas para a empresa.

O objetivo principal precisa estar na melhoria do desempenho empresarial e na vantagem competitiva. O processo não acontece repentinamente e nem pode ser interrompido. Por isso, é importante que a alta gestão esteja sempre atualizada das inovações tecnológicas que possam beneficiar os diferentes departamentos da organização.

3. Diz respeito a oferecer comunicação digital

Não. Este é um mito que deve ser desfeito o quanto antes entre os decisores das organizações. Manter meios digitais de relacionamento com o cliente e fornecedores é apenas uma das etapas da transformação.

O investimento em marketing digital, por meio de ferramentas como e-commerce, sites, blogs, redes sociais, aplicativos, é somente uma das estratégias que devem ser colocadas em prática. A transição digital em sua totalidade refere-se a mudanças nos diversos departamentos da empresa, como o de administração e produção, por exemplo

4. É possível começar com pequenas mudanças

Os empreendedores convictos de que a iniciativa transformadora começa com pequenas alterações e, especialmente, nas condutas operacionais ainda não entenderam a grandeza que envolve o processo.

Transformar digitalmente significa repensar toda a estrutura da empresa, incluindo as ações da alta gestão. A mudança principal deve começar do topo e o departamento operacional deve ser considerado somente um dos que terão suas estruturas modificadas.

O envolvimento no processo de mudança radical deve ser de colaboradores de várias áreas da empresa, como líderes, supervisores de produção, comercial, marketing, infraestrutura e financeiro. O processo deve ser amplo e estratégico, qualificando uma nova forma de atuar da empresa como um todo.

Esperar que a transformação digital aconteça naturalmente trará prejuízos ou até falência à empresa. O ideal é que os gestores pensem numa forma de investir nessa mudança antes que os concorrentes, para não precisar lidar com gestão de crise num futuro próximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *