Marketing Digital: por onde começar?

Siga os passos do nosso guia e marque presença da sua marca na web

Nos dias atuais é muito difícil imaginar a vida sem internet. O universo web faz parte da rotina da maioria das pessoas. Segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país fechou o ano de 2016 com 116 milhões de brasileiros conectados à internet. Se você tem uma marca e ainda não está inserido na web ou percebe que essa inserção é ineficiente, esse dado pode te assegurar do quão importante é estar presente na internet e de maneira efetiva.

Investir em marketing digital passa, então, a ser prioridade para tornar esse cenário possível. Adaptadas para a realidade da internet, as ferramentas do marketing contribuem para desenvolver um relacionamento direto com seu público-alvo. Seja para quem está começando ou para quem já tem uma estrada percorrida, o guia que elaboramos abaixo será útil para que o investimento em marketing digital seja feito de maneira assertiva e eficiente, evitando, assim, frustrações e perdas futuras.

É importante ressaltar que as estratégias digitais fazem parte de um processo e os resultados surgem ao longo do tempo. Por isso, quanto mais você investe em expertise, mais você irá prosperar nessa empreitada.

Você está preparado (a) para trilhar a caminhada rumo ao sucesso? Então, continue conosco que estamos aqui para te ajudar nesse processo.

Por onde começar?

O primeiro passo para elaborar sua estratégia digital é fazer uma pesquisa online de mercado. Esse estudo vai mostrar de que forma sua marca tem sido vista pelo público-alvo, quais comentários têm sido feitos, qual a qualidade desses comentários e, não menos importante, como sua marca aparece quando comparada com os concorrentes. Agora é o momento mais apropriado para avaliar as forças e fraquezas de sua marca, e perceber as oportunidades e ameaças que o cenário apresenta. Caso sua marca ainda não seja conhecida no mercado digital, é importante estar atento (a) a como seus concorrentes se comportam e que resposta vem sendo dada para o seu target. O ponto aqui é se inspirar nos cases de sucesso e conquistar seu espaço no vasto universo online.

Após realizar a pesquisa de mercado, o próximo passo é a definição de objetivos. Qual o seu propósito ao adentrar no ambiente online? Você pensa em desenvolver estratégias para fortalecer sua marca? Ou sua meta é divulgar um novo negócio ou serviço? Ou você planeja alavancar as vendas do seu produto? Ou sua finalidade é conquistar mais clientes e fidelizar os atuais? Ou ainda, conquistar reputação online?

Qualquer que seja seu objetivo, é muito importante tê-lo bem delineado porque sua estratégia digital precisa estar alinhada com esse propósito. De nada adianta elaborar uma ação voltada para fidelizar clientes, por exemplo, se sua intenção final é fazê-lo concluir uma venda. É essencial ter em mente que devem ser desenvolvidas ações diferentes, de acordo com cada tipo de objetivo.

Com a pesquisa de mercado em mãos e seu objetivo definido, a etapa agora é entender muito bem seu público-alvo. Quais são suas preferências, como se comportam, em qual ambiente online podem ser localizados, quais são seus hábitos e necessidades, tudo isso faz parte do rol de perguntas cruciais para compreender, a fundo, o seu target.

Vamos planejar?

Com as informações iniciais já organizadas, passamos agora para uma etapa fundamental: a elaboração do planejamento de marketing digital. É essa estratégia que vai te fazer sua empresa chegar onde almeja. Como estamos tratando aqui sobre o ambiente online, esse tipo de planejamento requer um acompanhamento constante, pois a internet apresenta mudanças frequentes e estar atento a elas é obrigatório.

Para acompanhar as ações propostas no planejamento assim como realizar atualizações pontuais e necessárias, é importante definir quais as métricas a serem usadas, manter uma postura flexível e desenvolver o hábito de estudar regularmente o cenário. As etapas estabelecidas no planejamento devem ser seguidas, mas insistir numa ação que se mostrou ineficaz pode colocar sua empresa em desvantagem em relação aos concorrentes.

Outro ponto relevante do planejamento é a elaboração de um cronograma, pensado num panorama de curto, médio e longo prazos. Essa divisão deve estar de acordo com o plano de ações, pois algumas estratégias precisam ser aplicadas de imediato, já outras podem ser realizadas em momentos posteriores.

Mãos à obra

Quais ações devem fazer parte do seu planejamento de marketing digital? Cremos que essa seja uma pergunta que tenha surgido em sua mente agora. Bem, a resposta é: depende. Nem todas as ações cabem para todas as marcas ou modelos de negócio. Tratando-se do ambiente digital, é fundamental selecionar as ações que melhor se adequam ao perfil da sua marca e ao seu objetivo, levando sempre em consideração a interação com o target.

Uma tática que acaba sendo relevante na maioria dos casos é o marketing de conteúdo., que contribui para fortalecer a relação entre sua marca e o público-alvo, e se mantém no topo das tendências do marketing digital. O primeiro ponto a ser definido é a linguagem. Qual a melhor maneira de comunicar sua marca? É uma marca voltada para que tipo de público? Cabe usar uma linguagem mais formal ou uma comunicação mais descontraída combina mais?

Após definido que tipo de linguagem será usada, passamos para a produção do conteúdo em si. Quanto mais qualificado, diferenciado e interessante for seu conteúdo, mais facilmente você conseguirá atrair a atenção do leitor e mantê-lo mais tempo navegando em sua plataforma (site, blog, mídias sociais). E o marketing de conteúdo contempla a produção de informações em diversos formatos – artigos, imagens, vídeos, tutoriais, e-books, podcasts, infográficos, aplicativos. Claro que não há necessidade de desenvolver conteúdo para todos os formatos. Selecione aqueles que melhor fazem sentido para a comunicação da sua marca e concentre seus esforços em produzir conteúdos relevantes, que agreguem valor.

O marketing de conteúdo permite também que você estimule o engajamento (call-to-action) de seu público-alvo. O tipo de engajamento vai depender de qual sua intenção com um conteúdo específico. Por exemplo, se você quer fortalecer a imagem de sua marca, o call-to-action pode ser feito através de cliques em e-books que complementam a informação para o leitor. Caso seu propósito seja fazer o cliente concluir uma venda, ter um botão de fácil acesso aos seus produtos é uma maneira de estimulá-lo a fazer essa ação.

Conteúdo e Forma

Por mais que seu conteúdo seja relevante, se este é apresentado num formato desagradável ou num website ou blog com templates que não favorecem a leitura, o usuário facilmente vai descartar sua página. Por isso, a forma como seu conteúdo é disposto também influencia no comportamento do seu público-alvo. Opte sempre por desenvolver um website ou blog com aparência profissional e de fácil navegação. Se tiver dificuldades em saber qual o melhor formato, procure um consultor especialista. E lembre-se de desenvolver sua plataforma em formato responsivo, o que significa que seu conteúdo poderá ser lido sem dificuldades em qualquer dispositivo, incluindo os smartphones e tablets.

Seja estratégico ao criar o conteúdo

Para tornar seu conteúdo facilmente acessível, vale investir em algumas técnicas de escrita para a web. A principal delas é a estratégia de SEO – Search Engine Optimization. Através do SEO você consegue rankear melhor seu website ou blog nos buscadores online, e de forma orgânica. Além de desenvolver conteúdos de qualidade e relevantes, procure elaborar seus textos considerando a aplicação de palavras-chave e termos relacionados. Por exemplo, ao escrever um artigo sobre “Marketing “Digital”, busque usar essas palavras, que são  consideradas as mais importantes, e seus termos relacionados, que podem ser estratégia digital e marketing de conteúdo. Antes se recomendava repetir a palavra-chave o máximo possível no texto, mas essa técnica caiu em desuso. O uso de termos relacionados torna o texto mais fluido e humano, características que são valorizadas pelos rankeadores, como é o caso do Google.

Mesmo usando as técnicas de SEO, pode acontecer que, num determinado momento, pensando em uma ação mais imediata, seja relevante investir em links e anúncios patrocinados. Então, esteja preparado (a) para situações como essa e reserve uma parte do orçamento para fazer uso deles, obtendo um resultado mais instantâneo nos buscadores online, essa é a estratégia de SEM (Search Engine Marketing).

Vale a pena investir em mídias sociais?

Bem, sabemos que as mídias sociais têm ganhado cada vez mais força, principalmente aquelas que permitem a postagem de conteúdos nos mais diferentes formatos, como Facebook e Instagram. Então, já respondemos que sim, vale a pena investir em mídias sociais. Porém, é importante entender como cada uma delas funciona e usar os recursos disponíveis a seu favor. Muitas das marcas acabam investindo em ter perfis em todas as redes sociais e passam a usá-las de forma aleatória. Essa é uma postura não aconselhável e pode, na maioria das vezes, prejudicar a comunicação da marca com seu público-alvo. Isso porque é essencial saber por onde estão  anda seus consumidores. Se é um público que acessa mais o Instagram, por que investir em ações no Facebook? Se é um público que não consome conteúdo em redes sociais, por que não investir em email marketing?

Enquanto proprietário (a) ou gestor de uma marca, você deve se fazer perguntas a todo momento. E lembre-se que os resultados vão surgir ao longo do processo. Ao seguir os passos apresentados acima, você já está tomando a melhor decisão para sua marca e para conquistar seu espaço no mundo digital.

Comentários