A hora e a vez do empreendedorismo digital

Ser dono do próprio negócio é um sonho antigo dos brasileiros, e hoje há mais chances de isso se tornar realidade graças às oportunidades oferecidas pela internet e pelo crescimento das mídias sociais. Nos últimos anos proliferaram inúmeros cases de sucesso no ambiente digital, que não se restringiram apenas ao e-commerce. Também surgiram na web outros serviços, como foi o caso do Migre.me, para encurtar a URL (recurso muito usado no Twitter), só para citar um exemplo. Mas há ainda um grande campo a ser explorado.

É possível entrar nesse universo, inicialmente, criando um projeto piloto para ser testado na rede. Nesse meio rápido e dinâmico, os próprios internautas dão dicas importantes sobre o que funciona ou não e o que fazer para corrigir rotas. Dependendo do projeto, também é possível atrair a atenção de investidores dispostos a apostar em novas ideias ou ainda obter o auxílio de instituições que apoiam essas iniciativas oferecendo conhecimento, como é o caso do instituto Endeavor, para se firmar de forma independente.

Há vários exemplos de empreendedores, boa parte deles jovens da geração Y que conseguiram ser bem-sucedidos em suas iniciativas na web. Isso porque existem muitos segmentos a serem explorados. Um projeto que deu certo foi o Bloompa, um organizador criado para facilitar, auxiliar e otimizar não só a conversão em compras, mas também o engajamento dos clientes e a construção da marca nas mídias sociais. Há também diversas empresas prestadoras de serviços de marketing na web (SEO, mídias sociais etc.) e ferramentas que automatizam a gestão dos canais sociais, como a Wildfire, representada no Brasil pela Superare Mídia.

Mas, assim como no mundo real, no virtual não basta ter um insight super criativo e inovador. É preciso ter planejamento, foco e um bom plano de negócios e definir o tipo de atividade que se quer exercer: comércio de produtos ou oferta de serviços, games etc. Ao optar, por exemplo, por uma loja virtual, o empreendedor terá maior chance de sucesso se os produtos oferecidos forem para nichos específicos e ainda não atendidos pelas grandes empresas, que possuem maior poder de barganha e com as quais é difícil competir.

Apesar de os negócios na web requererem investimentos menores do que no mundo físico, mesmo assim é preciso que o site tenha um bom visual, mostrando os produtos ou serviços com a maior clareza possível para o internauta. É preciso também dispor de várias formas de pagamento seguras, nos casos de e-commerce, assim como oferecer bons canais de comunicação, como chat, telefone e e-mail, por meio dos quais seja possível esclarecer dúvidas, solucionar problemas e receber sugestões.

Em todas as atividades, é necessário encantar os visitantes do site para que continuem voltando e o recomendem para suas próprias redes de relacionamentos. O investimento na divulgação pode acelerar o aumento de pageviews, usando estratégias de marketing digital, como links patrocinados, banners e anúncios que podem ser colocados em outros portais de grande circulação e nos canais de mídia social mais utilizados pelo público-alvo.

Também é aconselhável estar atento a alguns detalhes, como pensar em projetos que causem impacto na vida das pessoas a curto prazo e se renovar constantemente, sempre pensando adiante e no que os internautas (e eventuais consumidores) irão querer nos próximos anos. Segundo a Babson College, a mais conceituada escola de empreendedorismo do mundo, o Brasil é um dos países com maior número de empreendedores, e a sua população está entre as que mais navegam pela internet. Os brasileiros adoram novidades e tudo o que está relacionado ao mundo digital. Portanto, as portas estão abertas para quem está disposto a arriscar e a transformar o sonho de ser empreendedor em realidade.

2 thoughts on “A hora e a vez do empreendedorismo digital

  1. Responder
    Cris - 01 de novembro de 2015

    Muito bom o artigo. Na realidade o empreendedorismo ainda tem um campo de atuação enorme no Brasil, principalmente pela Internet, onde embora alguns afirmem que esteja saturado, isso não é verídico tendo em vista que mais de 30% da população ainda não tem acesso a Internet. Por isso, o quanto antes iniciar no empreendedorismo melhor. Obrigada e sucesso.

    1. Responder
      Digitalents - 03 de novembro de 2015

      Boa tarde Cristiane,
      realmente o empreendedorismo ainda tem um vasto campo de atuação, basta sabermos aproveitar e analisar com atenção as oportunidades.
      Agradecemos o feedback e continue nos acompanhando.
      Abraços,
      Digitalents

Deixe uma resposta para Digitalents Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *